O índice de referência nacional, PSI20, subiu 0,84% e acompanhou o cenário de ganhos na Europa, apoiado no disparo de 4% da retalhista Jerónimo Martins, num dia que a bolsa alemã fixou máximos históricos, com o seu sector exportador a beneficiar da fraqueza do euro.

O índice eurofirst 300, que integra as 300 maiores cotadas europeias, fechou com uma subida de 1,01%, tendo o alemão DAX liderado os ganhos na Europa, com uma valorização de 2,24%, tendo fixado um máximo recorde acima dos 12.000 pontos.

Em Lisboa, o PSI20 fechou com uma subida de 0,84% para máximos do ano, apoiado na valorização de 4,04% da retalhista Jerónimo Martins (JM).

«O dia na praça portuguesa voltou a ser de ganhos fortes, acompanhando a Europa e beneficiando ainda com o Quantitive Easing do BCE, com destaque para a valorização da JM que também seguiu os ganhos das retalhistas europeias», explicou Albino Oliveira, analista da Fincor, citado pela Reuters.

Suporte adicional dos pesos-pesados da energia, tendo a EDP subido 1,07% e a Galp avançado 0,72%, contrariando a queda do preço do petróleo nos mercados internacionais.

Pela positiva destacaram-se ainda os CTT, com uma subida de 1,31%, e da telecom NOS que ganhou 0,62%.
Em sentido contrário, a Impresa liderou as quedas no índice antes da apresentação dos resultados de 2014, recuando 3,62%.

A dona da estação de televisão SIC e do semanário Expresso anunciou, contudo, que o lucro líquido subiu 67% para 11 milhões de euros (ME) em 2014, alcançando o melhor resultado dos últimos sete anos, suportado no aumento das receitas de publicidade e na diminuição de encargos financeiros, anunciou este grupo de media, que se mostra cauteloso para 2015.

Nota negativa também para a Mota-Engil, que perdeu 2,59%, e para os principais bancos, tendo o BPI caído 0,69% e o BCP descido 0,11%.