O índice de referência português segue a negociar em alta, tal como os pares europeus, impulsionado pelo disparo de 8% da construtora Mota Engil, no início de uma semana que poderá ser crucial para o futuro da Grécia.

Os investidores aguardam dados da indústria transformadora na Europa em Maio e dados mensais da inflação na Alemanha.

De acordo com a Reuters, o índice eurofirst 300, que segue as 300 maiores cotadas no continente, avança 0,7%. Na semana passada, recuou 2%, penalizado pela incerteza em torno da Grécia e receios de uma eventual bancarrota.
Lisboa avança 0,5%.

A apoiar, a Mota Engil sobe para 2,63 euros. Ontem, a construtora anunciou uma parceria com a Ardian para desenvolver a rede de autoestradas geridas pela Ascendi em Portugal, que inclui um investimento de 300 milhões de euros (ME) pela 'private equity'.

A telecom NOS sobe 1,6%, o Millennium bcp 0,8% e a Semapa 1,9%. A EDP ganha 0,5%, a Portucel 1,7% e a EDP Renováveis 0,6%.

A Grécia tem agendado para o final da semana um reembolso de 300 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional, o primeiro de um conjunto de cerca de 1.600 ME este mês.

O executivo de Atenas já alertou que terá dificuldades em fazer o pagamento sem um acordo com os credores que liberte crucial ajuda financeira.

Ao contrário da indicação de um porta-voz do executivo do primeiro-ministro Alexis Tsipras, não foi possível aos credores e a Atenas chegarem a um acordo até Domingo.

A última linha da Grécia veio do Ministro da Administração Interna, Nikos Voutsis, que afirmou que será possível um acordo e uma solução até ao final da semana.