A bolsa de Lisboa está a aprofundar as quedas, com os investidores preocupados com os novos sinais de instabilidade política, após o apelo do Presidente da República a um compromisso de salvação nacional entre PSD, CDS e PS.

O PSI20 cai já 1,71% para 5.439,74 pontos, registando a única queda entre as bolsas europeias, onde os ganhos chegam, no caso de Frankfurt, a mais de 1% e onde o conjunto das praças atingiu já esta manhã o valor mais alto das últimas cinco semanas.

A banca continua a ser o setor mais pressionado, com o BCP a deslizar 5,38% para 8,8 cêntimos, o BES a cair 4,3% para 60 cêntimos e o BPI a recuar 4,04% para 88 cêntimos.

O Banif arrecada ainda a maior descida, de 11,67% para 5,3 cêntimos, uma queda que se prende sobretudo com o aumento de capital em curso, com o qual o banco pretende angariar 100 milhões de euros, e que passa pela emissão de novas ações a um cêntimo cada.

No mercado da dívida pública, a reação é mais morna, com as taxas de juro a registarem apenas subidas ligeiras. Nas obrigações a 10 anos, a taxa sobe 8 pontos base para 6,885%, ao passo que, no prazo a 5 anos, a taxa sobe 10 pontos base para 6,567%.