A notícia da demissão de Paulo Portas do Governo, conhecida poucos minutos antes do encerramento das bolsas, ainda fez acelerar a queda da praça nacional. O PSI20 acabou a perder 1,5% para 5.530,42 pontos, registando a maior descida da Europa.

A liderar as quedas, sem grande surpresa, estiveram os bancos, mais expostos à dívida pública e, indiretamente, à crise política que se instalou em Portugal. O BCP afundou 5,10% para 9,3 cêntimos, o BES caiu 4,23% para 61 cêntimos e o BPI recuou 3,12% para 90 cêntimos.

Entre as maiores descidas do dia esteve também a da Sonae, de 4,89% para 70 cêntimos. A Jerónimo Martins também deslizou 0,86% para 16,12 euros.

Dos restantes pesos pesados, destaca-se a descida de 1,02% para 2,92 euros, da PT, seguida da queda de 0,99% para 11,50 euros da Galp.