Até 30 de junho a BES Vida diminuiu drasticamente a exposição a ativos financeiros do grupo que viriam a decretar falência no início de agosto.

Entre 31 de dezembro de 2013 e 30 de julho deste ano, a seguradora diminuiu a exposição a ativos financeiros do BES em 73%, Espírito Santo Financial Group em 94% e Espírito Santo Financiére em 100%. No total, reduziu a exposição de 126 milhões para 25 milhões de euros, o que corresponde a uma redução de 80%, escreve o Diário Económico.

Todas estas empresas viriam declarar insolvência a 1 de agosto, com exceção da ESFG, que solicitou a gestão controlada a 24 de julho.

Questionada a Comissão de Mercado e Valores Mobiliários sobre o possível acesso a informação privilegiada por parte do BES Vida, o regulador remete-se ao silêncio, alegando que se trata de matéria sujeita ao segredo profissional.

A BES Vida, sob alçada do Novo Banco, é a seguradora do grupo Ramo Vida e tem sob sua responsabilidade mais de cinco mil milhões de euros de poupanças das famílias portuguesas.