O BES acumulou em bolsa perdas de 2,76 mil milhões de euros desde que foi confirmada a saída de Ricardo Salgado da sua liderança, isto é, mais de metade do valor que tinha há pouco mais de um mês.

BES desconvoca Assembleia Geral de Acionistas

A 20 de junho, quando foi oficialmente conhecida a saída do líder histórico do BES, as ações do banco fecharam a cotar nos 0,879 euros por título, e desde então tiveram um recuo de 56% para fecharem hoje a valer 0,388 euros cada uma, após terem sido noticiados possíveis prejuízos semestrais de 3 mil milhões de euros e no dia em que foi desconvocada a assembleia-geral extraordinária marcada para quinta-feira.

Em termos de capitalização bolsista, a 20 de junho, o banco valia 4,94 mil milhões de euros e hoje fechou nos 2,18 mil milhões de euros, pelo que perdeu em bolsa 2,76 mil milhões de euros desde então.

Antes de ser confirmada a saída do líder histórico, Ricardo Salgado, as ações já perdiam 15% desde o início do ano.

Mas, entretanto, novos factos vieram castigar os títulos do banco, com a divulgação de mais problemas financeiros no grupo, pedidos de gestão controlada por dificuldades no pagamento das holdings sediadas no Luxemburgo, cortes de rating e até buscas à sede do GES e detenção para interrogatório de Ricardo Salgado.

A evitar uma maior queda dos títulos do BES esteve a decisão de nomear Vítor Bento, em vez do ex-administrador financeiro Morais Pires, como presidente executivo do BES.