O BCP emitiu hoje 500 milhões de euros de obrigações não garantidas pelo Estado a uma taxa de juro de 3,375%, numa operação que que o banco considera que marca o seu regresso em pleno ao mercado de capitais.

«A emissão, no montante de 500 milhões de euros, tem um prazo de três anos e um cupão de 3,375% ao ano. A operação foi colocada com grande sucesso num conjunto muito diversificado de investidores institucionais provenientes de várias jurisdições», lê-se na nota enviada pelo BCP à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O banco liderado por Nuno Amado disse ainda que a procura superou em mais de 450% a oferta e sublinhou a «rapidez de resposta» dos investidores a esta operação, quatro anos depois da última emissão sem garantia.

Num comentário a esta operação, o administrador financeiro do BCP, Miguel Bragança, considerou à Lusa que esta emissão foi «muito bem-sucedida» ao ter sido conseguida uma taxa de juro «em linha com as recentes emissões do Estado» e uma procura bem acima da oferta, em que «cerca de 80% veio de investidores internacionais».

«Este resultado é um sinal importante para o Millennium e representa um regresso à normalidade no acesso aos mercados», afirmou ainda Miguel Bragança.

A agência de informação financeira Bloomberg noticiou na terça-feira que o BCP tinha mandatado um conjunto de bancos para avaliar as condições de mercado para lançar uma emissão de obrigações em euros sem garantia do Estado.

O BCP apresentou em 2013 prejuízos de 740 milhões de euros, no terceiro ano consecutivo de perdas, que já ascendem a mais de 2,8 mil milhões de euros desde 2011.