O BCP está em forte destaque na bolsa de Lisboa, com uma subida de 7% para 0,063 euros por ação, depois de anunciar a fusão do Millennium Angola com o Banco Atlântico. Os titulos do banco já estiveram a subir 9%.

O Millennium bcp - maior banco privado português - e a Global Pactum decidiram fundir o Banco Millennium Angola (BMA) com o angolano Banco Privado do Atlântico (BPA), que deverá reforçar o rácio de capital common equity Tier 1 (CET1) do Millennium bcp em 37 pontos base, anunciou o ontem o banco após o fecho do mercado.

A entidade liderada por Nuno Amado adiantou que a "junção das capacidades complementares do BMA e do Atlântico potencia oportunidades de crescimento e maximiza a capacidade de criação de valor em Angola", e que a nova entidade será "a segunda maior instituição privada em crédito à economia, com uma quota de mercado aproximada de 10 pct em volume de negócios".

Explicou que esta consolidação possibilitará também "a manutenção da contribuição da atividade em Angola em níveis consentâneos com a ambição do Millennium bcp e retornos sobre o capital investido na ordem dos 20%, compensando o abrandamento da economia angolana face aos planos iniciais".

A concretização da transação está sujeita à aprovação em Assembleia Geral do BMA e do Atlântico, bem como das entidades regulamentares e de supervisão.

É esperado que a nova entidade distribua um generoso dividendo acima de 50 pct dos lucros. O Millennium bcp, desde o lançamento da unidade angolana em 2007, nunca recebeu dividendos pois reinvestiu em Angola todos os lucros.