O Millennium BCP encerrou o primeiro semestre do ano com um resultado líquido negativo de 488 milhões de euros, uma melhoria face ao prejuízo de 544 milhões de euros registado no semestre homólogo de 2012. Ainda assim, o banco desiludiu ao registar perdas maiores do que previam os analistas.

«Este resultado está em linha com o plano e com o ciclo económico», sublinhou Nuno Amado, presidente do BCP, na conferência de imprensa de divulgação das contas.

O contributo para os resultados consolidados das operações internacionais (exceto a Grécia), de 84 milhões de euros, representa uma melhoria de 12,7% face ao semestre homólogo de 2012.

Os analistas consultados pela Reuters previam um prejuízo médio de 445 milhões de euros.

BCP pagou quase 170 ME ao Estado no primeiro semestre

O banco revelou ainda que pagou, no primeiro semestre, 169,4 milhões de euros em comissões e juros devidos pela emissão de dívida com garantia estatal e pelos instrumentos híbridos de capital ('CoCos') do banco subscritos pelo Estado.

«Nós demos o nosso contributo para o défice», realçou hoje Nuno Amado, presidente do BCP, em tom divertido, no decorrer da conferência de imprensa de apresentação de resultados.

O custo referente aos juros devidos pela subscrição estatal dos 'CoCos' do BCP ascendeu a 134 milhões de euros, enquanto as comissões relativas ao financiamento do banco com o recurso à garantia estatal foram de 35,4 milhões de euros.