O BCP registou lucros de 70,4 milhões de euros nos primeiros três meses do ano, um resultado bastante acima do previsto pelos analistas, que antecipavam lucros de cerca de 50 milhões de euros.

É o regresso aos lucros depois de quatro anos de prejuízos. No período homólogo por exemplo, estes foram de 40,7 milhões de euros.

Segundo informação do banco enviada à Comissão de Mercado e Valores Mobiliários, a margem financeira cresceu 39%, dos quais 81% em Portugal, enquanto os custos operacionais caíram 2,5%, com uma redução de 8,7% em Portugal.

O banco sublinha também o “importante esforço de provisionamento”, com imparidades de 275,7 milhões de euros até março, aproveitando ganhos em dívida pública para reforço das coberturas.

Os depósitos de clientes atingiram os 50,8 mil milhões de euros, mais 3,7% face a 31 de março de 2014.
O banco conseguiu também reduzir a utilização de financiamento líquido do BCE para 6,2 mil milhões de euros.