O BCE manteve esta quinta-feira a taxa de juro de referência no mínimo histórico de 0,25 por cento.

O presidente da instituição, Mario Draghi, sinalizou esta quinta-feira que as taxas de juro vão continuar baixas por um período prolongado e reviu em baixa as projeções para a inflação no próximo ano.

«Podemos viver um período prolongado de inflação baixa», afirmou Mario Draghi na conferência de imprensa que se seguiu à reunião do Conselho de Governadores, onde foi decidido manter as taxas de juro nos mínimos históricos decididos em novembro.

Mario Draghi reiterou ainda, durante a conferência que se realizou em Frankfurt, o compromisso do BCE de manter os custos de financiamento baixos por um período longo, numa altura em que se debate se foi feito o suficiente para prevenir a deflação e apoiar a recuperação da zona euro, ou se são precisas novas medidas, tais como passar a taxa de depósitos junto do BCE para valores negativos.

As novas previsões macroeconómicas do BCE reveem em baixa a estimativa para a inflação no próximo ano, de 1,3% para 1,1%, e apontam para que esta cresça para os 1,3% em 2015, na primeira projeção que faz para esse ano.

O BCE continua a prever que a economia da zona euro feche o ano em recessão, com uma contração de 0,4%, mas que volte a crescer em 2014, 1,1% do PIB, e acelere para os 1,5% em 2015.

Sobre a possibilidade de avançar para uma nova linha de empréstimos a longo prazo aos bancos comerciais, Mario Draghi disse que o BCE quer garantir que este seria utilizado para financiar a economia, em vez de ser guardado pelos bancos e subsidiar assim a formação de capital, dando a entender que esta é uma possibilidade que está a ser estudada.