O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, disse esta quinta-feira que a instituição poderá rever a sua política monetária em março, deixando implícita a hipótese de mais estímulos, o que agradou aos mercados.

O BCE "não capitula", "tem o poder, a vontade e a determinação de agir" para cumprir o seu mandato, impulsionar a inflação na zona euro, muito baixa com a queda do preço do petróleo, afirmou Draghi na conferência de imprensa que se seguiu à reunião do conselho de governadores, em Frankfurt.

"Não há limites para a utilização dos instrumentos de política monetária que estão à disposição do banco central, afirmou. Isso poderá ficar demonstrado em março, quando deverá ser "necessário reavaliar e possivelmente rever a política monetária" do BCE.


Na sua reunião de hoje, o BCE decidiu manter a sua taxa de juro aplicada às principais operações de refinanciamento em 0,05%, um mínimo histórico que tem permanecido desde setembro de 2014.