A desaceleração da economia chinesa continua a consolidar a tendência de descida do preço do Brent, que esta manhã se fixou nos 44,28 dólares no mercado de Londres, próximo do mínimo registado em março de 2009.

Os problemas verificados na China, o segundo consumidor mundial de petróleo, têm vindo a somar-se nas últimas semanas ao excesso da oferta mundial de crude, o que provocou uma redução dos preços desde meados do ano passado.

As bolsas internacionais e os mercados de matérias-primas foram fortemente afetados pela decisão de Pequim de desvalorizar o yuan cerca de 4,7% face ao dólar, a moeda em que se negoceiam os futuros do petróleo.