As bolsas europeias interromperam, esta quinta-feira, um ciclo de quedas provocado por desvalorizações consecutivas do yuan. O Banco central da China anunciou ter concluído a desvalorização da moeda chinesa e que o câmbio está a um valor considerado adequado e suficiente para estimular as exportações chinesas, permitindo fazer face ao abrandamento da economia chinesa.

Depois de terem atingido, durante esta semana, mínimos do último mês, os principais mercados bolsistas europeus deram sinais de recuperação, apesar de alguma cautela dos investidores. A Bolsa de Paris subiu 1,255%, Milão, 1,55%, Frankfurt 0,79% e Madrid 0,67%.
 

Lisboa lidera ganhos na Europa

 
A Bolsa de Lisboa foi a que mais ganhou, 2,05%, puxada pela forte valorização da Pharol. A empresa que detém uma participação de 27,5% na operadora brasileira Oi, chegou a valorizar mais de 30% e acabou por fechar com ganhos de 17%, depois de, durante a semana, ter batido mínimos históricos consecutivos.

A Pharol beneficiou do regresso aos lucros da OI, no segundo trimestre de 2015. A empresa brasileira lucrou 173 milhões de euros (671 milhões de reais), graças aos ganhos extraordinários de 287 milhões de euros (1113 milhões de reais) registados com a venda da PT Portugal aos franceses da Altice.

O BCP esteve também a recuperar esta quinta-feira, com ganhos de 3,827%, superando os 6 cêntimos por ação.  A ajudar o índice PSI 20 estiveram ainda os retalhistas Jerónimo Martins (2,567%) e Sonae (2,318%).