As valorizações dos bancos Millennium bcp e BPI foram os principais suportes do fecho positivo da Bolsa de Lisboa, em sintonia com uma Europa animada com melhoria do sentimento dos empresários alemães e a expectativa de compra de dívida soberana pelo Banco Central Europeu (BCE).

A taxa de juro das obrigações do tesouro (OT) a 10 anos de Portugal recuam quatro pontos base para 2,98%, enquanto as yields italiana e espanhola fixaram mínimos históricos, à ‘boleia’ das declarações de Mário Draghi, que reafirmou tudo fará para travar o nível baixo da inflação na Europa, destaca a Reuters.

No mercado acionista, o índice de referência PSI20 ganhou 0,2% para 5.333,70 pontos.

O Millennium bcp disparou 4,22% e o BPI valorizou 2,6% , em linha com as subidas dos pares europeus, nomeadamente os espanhóis, beneficiando das declarações de Draghi e do alívio da yield soberana.

O índice DJ Stoxx para a banca na Europa ganha 0,84%.

Suporte adicional da retalhista Jerónimo Martins, com uma subida de 0,61%, enquanto a EDP encerrou estável nos 3,288 euros e a Galp Energia caiu 0,88%.

A Mota Engil fechou a cair 0,86%, no dia em que a sua subsidiária Mota-Engil África se estreou na Bolsa de Amesterdão, tendo encerrado estável no preço de referência técnico fixado em 11,5 euros por ação.

Em entrevista à Reuters, o Chief Executive Officer da Mota-Engil, Gonçalo Moura Martins, disse que pode avaliar uma operação de dispersão em Bolsa da sua unidade de negócios América Latina, à semelhança da admissão à cotação hoje da rentável subsidiária africana, embora não no imediato.

Afirmou ainda que «assim que as condições de mercado estabilizem», o free-float desta unidade, que é a líder na prestação de serviços de Engenharia e Construção na Africa Subsariana, será aumentado, sendo que «nesse momento será reconhecida a valorização desta unidade de negócio em todo o seu potencial».

Restante Europa também animada

À exceção das bolsas de Londres e Milão, os principais índices europeus fecharam em alta, impulsionados pela melhoria do sentimento dos empresários alemães, em Novembro, e ainda pelas declarações feitas sexta-feira pelo Presidente do Banco Central Europeu (BCE).

Mario Draghi disse que a inflação na zona euro está «demasiado baixa» e que o banco central vai fazer o que for necessário para a subir «o mais rapidamente possível».

Esta manhã, o índice IFO, que mede o sentimento dos empresários na Alemanha, subiu em Novembro, após seis quedas mensais consecutivas.