A Bolsa de Lisboa fechou a sessão desta segunda-feira com uma queda de 0,54%, num dia em que negociou em contraciclo com o resto da Europa, por causa do recuo dos títulos da banca.

Os bancos portugueses estão a ser prejudicados pelo arrastar do processo de venda do Novo Banco, com os investidores a questionarem-se sobre o impacto que a venda vai ter no sistema financeiro nacional, através do fundo de resolução.

Uma outra dúvida do mercado prende-se com os níveis que vão ser exigidos pelo Banco Central Europeu para os rácios de capital, o que pode exigir novos aumentos de capital por parte dos bancos nacionais. O BCE terá já comunicado aos bancos as suas exigências, aguardando a contestação técnica por parte das instituições financeiras.
 

Banif afunda 8,7%  


O Banif liderou as quedas na bolsa nesta segunda-feira, com uma desvalorização de 8,696%, seguido do Millennium BCP, que caiu 4,255% e do BPI, cujos títulos desvalorizaram 1,027%.

Nota negativa ainda para os títulos da Pharol, que cairam 1,215% para pouco mais de 24 cêntimos por ação.

Lisboa esteve a negociar todo o dia em contraciclo com o resto da Europa, com as principais bolsas a serem impulsionadas pelos números da produção industrial alemã. A produção industrial na Alemanha registou em julho a maior subida do ano, o que fez com que o índice Dax da bolsa de Frankfurt valorizasse 0,71% e a bolsa de Paris subisse 0,59%.

Num dia em que as bolsas norte.americanas estiveram encerradas, o mercado chinês voltou a cair. O índice CSI300, que agrupa as principais cotadas das bolsas de Shangai e Shenzen, recuou 3,43%.