Os acionistas da PT SGPS marcaram para esta segunda-feira uma assembleia-geral para decidir a venda da PT Portugal à Altice, mas a reunião ainda poderá ser suspensa, nomeadamente a pedido do sindicato dos trabalhadores do grupo.

Na sexta-feira passada, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Grupo PT (STPT), Jorge Félix, assegurou à agência Lusa que iria pedir a suspensão da assembleia-geral, caso isso não acontecesse entretanto.

O sindicalista acrescentou que a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) também considerava que esta assembleia-geral magna deveria ser adiada.

Na sexta-feira, o Conselho de Administração da PT SGPS esteve reunido cerca de seis horas, tendo suspendido o encontro para durante o fim de semana decorrerem novos contactos entre este órgão, a CMVM e o presidente da mesa da assembleia-geral, com o objetivo de encontrar um consenso sobre a sua realização.

Fonte oficial da PT SGPS disse na sexta-feira à Lusa que o Conselho de Administração da PT SGPS, empresa que detém uma dívida de quase 900 milhões de euros da Rioforte e uma participação na brasileira Oi, vai retomar os trabalhos na segunda-feira de manhã e que «tudo indica que a assembleia-geral tenha lugar» nesse dia.