O ministro do Petróleo saudita, Ali al Naimi, assegurou na terça-feira que o seu país está pronto para ajudar a que se recupere a estabilidade do valor do crude e a melhorar os preços de «uma forma razoável».

Ao discursar durante uma conferência sobre economia e energia realizada em Riade, Al-Naimi insistiu em que esta operação se pode realizar em cooperação com outros países produtores.

A Arábia Saudita «é capaz de melhorar os preços do petróleo e garantir as reservas do mercado, se participarem os outros países produtores», afirmou o ministro, cujo país é o principal produtor da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), cita a Lusa.


Al-Naimi, que não falou em momento algum de uma eventual redução da produção, disse que esperava uma melhoria do preço do crude e indicou que a produção saudita vai chegar aos dez milhões de barris diários.

O barril de crude Brent, para entrega em maio, fechou ontem no mercado de futuros de Londres em alta de 0,98%, para 59,10 dólares.

O preço do barril da OPEP fechou a última semana de março em baixa, terminando em queda de 03%, para os 52,93 dólares.

Os analistas atribuem a forte volatilidade do crude a acontecimentos geopolíticos no Médio Oriente, cujos últimos desenvolvimentos são a ofensiva saudita no Iémen, que reforça a tendência de subida, e a perspetiva de um acordo no dossier nuclear iraniano, que tem um efeito contrário.

A média do preço OPEP em março foi de 52,58 dólares, menos 2,7% do que a média de fevereiro (54,06) e quase metade da média homóloga de 2014, quando se situou nos 104,15 dólares.