O fundo Apax Partners quer lançar uma oferta de cerca de 7.000 milhões de euros sobre os ativos da PT Portugal, em parceria com a CVC Capital Partners e a Bain Capital Partners, noticiou a Bloomberg.

De acordo com a agência de informação financeira, o fundo está a analisar os dados financeiros da PT Portugal, que são detidos pela brasileira Oi desde maio, para fazer uma oferta semelhante à que foi feita pelo bilionário Patrick Drahi, dono da Altice, segundo fonte ligada ao processo.

Os fundos apostam no apoio do Governo português à sua proposta, adiantou a mesma fonte.

Entretanto, a Oi deverá aguardar mais ofertas para a compra da PT Portugal antes de tomar uma decisão, disseram à Bloomberg outras três pessoas.

Fontes oficiais dos fundos com sede em Londres, Apax e CVC Capital, e em Boston, Bain Capital, escusaram-se a fazer comentários sobre o assunto.

No início desta semana, o grupo francês Altice, que detém as operadoras de telecomunicações Cabovisão e Oni, ofereceu 7.025 milhões de euros para a compra dos ativos da PT, excluindo a dívida de quase 900 milhões de euros da Rioforte, empresa do grupo Espírito Santo, e veículos financeiros da PT.

A PT Portugal, que detém a MEO, Sapo, entre outros serviços, é atualmente detida pela Oi, no âmbito do processo de combinação de negócios das duas empresas.

Já a PT SGPS, empresa que está cotada no principal índice da bolsa portuguesa, o PSI20, detém 25% da Oi e a dívida da Rioforte.

Entretanto, a empresária angolana Isabel dos Santos e a Sonae manifestaram disponibilidade para «integrar uma solução» para a PT Portugal que promova «a defesa do interesse nacional».