O grupo mexicano Ángeles alienou todas as ações que detinha na Espírito Santo Saúde, empresa adquirida pela Fidelidade, segundo informação prestada ao mercado.

Na semana passada, a Oferta Pública de Aquisição lançada pela Fidelidade sobre a Espírito Santo Saúde conseguiu captar um total de 96,065% do capital social da empresa.

Em resultado desta OPA, o grupo mexicano Ángeles informou esta quarta-feira, num comunicado divulgado pela Comissão de Mercado e de Valores Mobiliários, que vendeu as ações que detinha na ES Saúde: 6.660.147 ações, representativas de 6,97% do capital.

«Em face das referidas alienações, a Ángeles deixou de deter e deixaram de lhe ser imputáveis qualquer participação e direitos de voto na ES Saúde», refere o comunicado.

Também a UBS informa que «caiu abaixo do limiar reportável de 2% do capital social e dos direitos de voto da ES Saúde». Na informação divulgada pela CMVM, a UBS dá conta de que agora detém 8.605 ações, que representam 0,01% do capital social da empresa.

A Ángeles anunciou em meados de agosto uma OPA à ES Sáude, oferecendo inicialmente 4,30 euros por ação. Depois do anúncio, o grupo mexicano comprou várias ações, atingindo 6,97% do capital da empresa. No entanto, a Ángeles acabou por desistir da OPA, quando a Fidelidade apresentou uma oferta concorrente, com uma contrapartida de 4,82 euros por ação - valor que o grupo mexicano não considerou ser justo.

Na semana passada, contando com as ações que a Fidelidade já detinha, o grupo segurador, agora controlado pelos chineses da Fosun, passou a ter uma participação total de 96,067% do capital social da ES Saúde (91.784.436 ações), a que corresponde um investimento de 459,8 milhões de euros (5,01 euros por ação).

Além da Ángeles, também a OPA da José de Mello Saúde e a proposta da UnitedHealth Group, que foi feita diretamente à Rioforte para um negócio a realizar fora de bolsa, ficaram sem efeito.