As ações da PT SGPS abriram a sessão de hoje a perder 9,5% após duas sessões em que estiveram com a negociação suspensa, penalizada pela continuação da incerteza após os principais acionistas da telecom terem decidido adiar uma crucial Assembleia Geral para dentro de 10 dias.

«Esta queda da PT espelha sobretudo a incerteza em torno da AG que acabou por ser adiada, adiando também a votação relativamente à venda da PT Portugal à Altice para daqui a 10 dias», explicou Albino Oliveira, citado pela Reuters.

O analista da Fincor acrescentou ainda que a queda da PT SGPS «reflete ainda o tombo de 16% que os ADR da Oi registaram ontem nos EUA».

Os acionistas de referência da PT, incluindo a brasileira Oi, o Novo Banco e a Ongoing, decidiram ontem suspender a AG e adiá-la para 22 de Janeiro, complicando a venda dos ativos portugueses da PT Portugal aos franceses da Altice ATCE.AS e lançando dúvidas sobre o projeto de fusão da Oi com a PT, segundo acionistas.

A Oi e outros acionistas de referência, incluindo Novo Banco e Ongoing, foram os proponentes desta suspensão da AG, indo ao encontro da posição da CMVM e do presidente da mesa da AG, que queriam que fossem dadas informações adicionais aos acionistas.

A reguladora CMVM tinha suspendido a negociação das ações da PT antes da abertura de sexta-feira, pedindo mais informação para os acionistas poderem tomar uma decisão de forma «ponderada e esclarecida» numa crucial Assembleia Geral.

As ações da PT SGPS seguem a descer 7,25% para 0,665 euros.