Os acionistas do Banco Santander Totta deram esta segunda-feira 'luz verde' a um novo aumento de capital de 300 milhões de euros, menos de dois meses depois de terem aprovado um reforço de capital no mesmo montante, informou a instituição.

Esta operação vai elevar o capital social do banco de 957 milhões de euros para 1,257 mil milhões de euros.

A lógica da operação passa pela "optimização da estrutura de capitais próprios", lê-se na convocatória para a reunião magna, datada de 28 de janeiro, que está disponível na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A 05 de janeiro, a entidade liderada por António Vieira Monteiro, que é detida pelo espanhol Banco Santander, anunciou que o seu aumento de capital de 300 milhões de euros tinha sido totalmente subscrito, passando o seu capital social de 657 milhões de euros para 957 milhões de euros, em 'números redondos'.

A 14 de dezembro, a operação de aumento de capital tinha sido aprovada em assembleia-geral extraordinária, tendo como objetivo reforçar a solidez do banco.

Nesta primeira operação de aumento de capital, a gestão do Santander Totta garantiu que a mesma não estava diretamente relacionado com a compra da atividade comercial do Banif e da maior parte dos seus ativos e passivos, anunciada a 20 de dezembro pelo Banco de Portugal, que aplicou na mesma data uma medida de resolução ao Banif.

Com a aprovação de hoje o Santander Totta quase dobra o seu capital social num curto espaço de tempo.