O presidente da RTP, Alberto da Ponte, afirmou que se não fosse o atual Conselho de Administração, a empresa já não teria a RTP2.

A administração da RTP -composta por Alberto da Ponte, Luiana Nunes e António Beato Teixeira - está a ser ouvida na comissão parlamentar para a Ética, a Cidadania e a Comunicação, no âmbito de um requerimento do Bloco de Esquerda (BE) depois de o Conselho Geral Independente ter proposto a destituição da equipa de gestão.

«Se não fosse este Conselho de Administração, a senhora deputada não tinha a RTP2», disse Alberto da Ponte, dirigindo-se à deputada socialista Inês de Medeiros.

O presidente da RTP lembrou que o Plano de Assistência Financeira, da administração anterior, liderada por Guilherme Costa, «eliminava a RTP2».

«Começámos do zero», apontou Alberto da Ponte que, após assumir a presidência da RTP, desenhou o PDR - Plano de Desenvolvimento e Redimensionamento.

Adiantou que a RTP2 vai ter para o ano um reforço da sua dotação.

Recorde-se que inicialmente o Governo pretendia privatizar um dos canais da RTP.

Alberto da Ponte adiantou também que é rentável o investimento na Liga dos Campeões. O investimento anual é de cinco milhões de euros por ano, com um retorno esperado de 5,800 milhões de euros, adiantou o responsável.