O grupo Pearson decidiu vender o Financial Times a uma empresa de informação online, avança a agência Reuters. O jornal britânico estará atualmente avaliado em cerca de 1,4 mil milhões de euros.

A decisão surge na sequência do grupo ter decidido centrar o seu foco nas suas áreas de negócio mais diretamente relacionadas com a educação.

No último ano, o Financial Times teve uma média de circulação de cerca de 720 mil exemplares por edição, dos quais perto de 70% provêm de assinaturas digitais.

A editora britânica confirmou esta quinta-feira que "está em conversações avançadas" para uma possível venda do jornal económico, apesar de sublinhar que não há garantias de que a operação seja levada a cabo.

Num comunicado à Bolsa de Londres, a Pearson, uma das maiores editoras do mundo e líder no setor da educação, clarificou a posição face a especulações surgidas nos meios de comunicação.


"A Pearson constata as recentes conjeturas na imprensa e confirma que está em conversações avançadas sobre a possível venda do Grupo FT, ainda que não haja certezas de que as conversações originem uma transação", refere o comunicado.