O secretariado da Comissão da Carteira Profissional de Jornalista (CCPJ) reúne-se com o jornalista e apresentador da RTP, José Rodrigues dos Santos, na segunda-feira à tarde, disse esta sexta-feira à Lusa fonte do órgão.

Esta reunião, convocada pelo secretariado da CCPJ, surge na sequência da referência no feminino, feita por José Rodrigues, no Telefornal de 07 de outubro, quando falava do deputado eleito pelo PS Alexandre Quintanilha, a quem já foram pedidas desculpas.

O secretariado da CCPJ, composto pelo presidente Henriques Pires Teixeira e comissários Albérico Fernandes e Rosária Rato, convocou este encontro "para pedir esclarecimentos", adiantou a mesma fonte do órgão.

A direção de informação da RTP, liderada por Paulo Dentinho, explicou na quinta-feira que "no Telejornal de ontem [07 de outubro], por lamentável equívoco, decorrente de um erro não intencional, foi referido que o deputado mais velho eleito [Alexandre Quintanilha] para o parlamento era uma mulher".

"Na verdade, esta associação aconteceu porque na peça fazia-se referência a uma mulher eleita pelo Bloco de Esquerda, uma pensionista de 68 anos. O apresentador, quando lançou a reportagem, acreditou que se tratava da mesma pessoa", esclareceu a direção de informação da RTP.


"Os erros são sempre de evitar, mas como qualquer pessoa que trabalha no jornalismo, ou em qualquer outra profissão, por vezes acontecem. De qualquer modo, a reportagem esclareceu de imediato o erro ao mostrar que o deputado de 70 anos era na realidade um homem", adiantou a direção de informação da RTP, numa nota.

O diretor de informação da RTP "falou pessoalmente com o visado, a quem apresentou as desculpas pelo facto", refere o comunicado da estação pública.

Entretanto, José Rodrigues dos Santos pediu as "devidas desculpas", em direto, aos dois deputados no noticiário de quinta-feira (08 de outubro).

A polémica levou a que a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) tenha aberto um processo contra a RTP, explicando que tal "deve-se a indícios de violação de direitos fundamentais dos cidadãos".

Por outro lado, o presidente do regulador dos media, Carlos Magno, não subscreveu a abertura do processo por considerar que este não irá trazer "nada de novo".

"Antes de tomar uma posição quis falar com Alexandre Quintanilha e José Rodrigues dos Santos. Neste momento já tenho uma explicação provisória que, muito provavelmente, será definitiva se nada de novo vier a revelar-se depois desta excitação toda", salientou, em declarações à Lusa, o presidente da ERC.


"Tendo em conta o que aconteceu com os paralíticos gregos, não participo na caça às bruxas do José Rodrigues dos Santos", concluiu o presidente do regulador dos media.

O provedor do telespetador da RTP, Jaime Fernandes, disse à Lusa que recebeu "dezenas de protestos" devido à notícia do Telejornal de quarta-feira sobre novos deputados e vai abordar assunto no seu programa.

Por sua vez, o secretário-geral do PS apresentou um "protesto formal" à direção da RTP sobre o que diz ser o "comportamento inaceitável", exigindo "um pedido de desculpas e uma tomada de posição pública da RTP sobre o assunto".