As principais empresas de media portuguesas lançaram esta tarde a «Plataforma de Media Privados» com o objetivo de encontrar soluções para acompanhar a evolução do mercado e o desenvolvimento dos media na era digital.

O organismo de media privados integra os grupos Media Capital, Cofina, Controlinveste, Impresa e a Rádio Renascença.

Entre as principais preocupações dos signatários desta plataforma está a concorrência desleal dos motores de busca e das redes sociais no acesso às notícias e na exploração comercial, sem regras.

Por outro lado, o excesso de regulação para as empresas de media em portugal, a posição da empresa pública de televisão e a relação com as empresas de telecomunicações fazem parte da carta de princípios da plataforma de media privados.



Estes cinco Grupos unem-se assim para articular e defender uma estratégia comum que garanta a existência, a longo prazo, de empresas sólidas e de um jornalismo profissional independente gerador de conteúdos de qualidade produzidos por profissionais de excelência.

A plataforma será dirigida em termos executivos por Pedro Reis, anterior presidente da AICEP, e Francisco Pinto Balsemão ficará com a presidência do Conselho Geral que contará com representantes dos cinco membros da plataforma.

A «Carta de Princípios» foi assinada esta terça-feira, e a Plataforma de Media Privados fará a sua apresentação pública no inicio do próximo mês de setembro, altura em que serão apresentados os seus objetivos e os seu programa de atividades.