A Associação das Empresas Familiares enviou esta quinta-feira ao Presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, e aos 751 Eurodeputados, uma carta em que pede ajuda para Portugal, no sentido de não lhe serem impostas sanções pela União Europeia.

"Escrevo a V.Exa porque Portugal precisa da sua ajuda e merece-a", diz o presidente da associação, Peter Villax, na carta dirigida a Schulz, lembrando que a Comissão está a ameaçar Portugal com sanções por não ter feito o suficiente no ajustamento da sua despesa pública e não ter reduzido o seu défice orçamental para um valor inferior a 3% do PIB.

Para a associação, "a aplicação de sanções seria injusta, contra-producente e dividiria ainda mais a Europa, em vez de uní-la".

Peter Villax afirma que Portugal tem tido "uma função pública excessiva, uma preferência por despesa pública e um apetite por dívida", mas considera que "neste momento as sanções ameaçariam a tímida recuperação pela qual tanto nos esforçámos e desequilibrariam a nossa economia".

"Como presidente da Associação das Empresas Familiares, como representante das nossas empresas associadas e em nome de um sector que representa 70% do nosso produto, peço-lhe encarecidamente que apoie Portugal. Ficaria muito agradecido a V.Exa. se contactasse ou escrevesse ao Presidente da Comissão Europeia, Senhor Jean-Claude Juncker e ao Comissário Europeu para os Assuntos Económicos e Financeiros, Fiscalidade e Alfândegas, Senhor Pierre Moscovici, para que a ameaça de sanções seja levantada", apelou.

A Associação das Empresas Familiares (EFs) é uma associação privada, sem fins lucrativos, criada em 1998 com o objetivo de promover e representar as Empresas Familiares na economia.