O ministro da Presidência e Assuntos Parlamentares, Luís Marques Guedes, recusou-se esta quinta-feira a comentar as notícias que dão conta de que o atual secretário de Estado do Tesouro propôs, enquanto funcionário de um banco, a contratação de swap ao Governo português, para maquilhar as contas públicas.

Marques Guedes, que falava na conferência de imprensa que se seguiu ao Conselho de Ministros, disse não ter tido ainda oportunidade de ler as notícias sobre o assunto, mas remeteu o mesmo para o Parlamento.

«O inquérito aos swap decorre na Assembleia da República, em sede da comissão parlamentar de inquérito e não em sede de Conselho de Ministros», disse.

Sobre os pedidos de demissão do Bloco de Esquerda e do PCP do secretário de Estado, Joaquim Pais Jorge, o ministro preferiu ser irónico.

«Eu já perdi conta às vezes que os partidos da oposição têm pedido, nos últimos meses, a demissão do Governo e de membros do Governo», afirmou Marques Guedes.

«É um assunto de natureza parlamentar que deve ser tratado no Parlamento», reiterou.