O ministro da presidência, Luís Marques Guedes, recusou fazer quaisquer comentários sobre a detenção do ex-presidente executivo do BES Ricardo Salgado, frisando que esta matéria é exclusivamente do foro da Justiça.

Ricardo Salgado detido e constituído arguido

«Esta não é minimamente matéria do foro do Governo, muito menos do Conselho de Ministros, mas meramente do foro da Justiça», disse Marques Guedes, quando questionado sobre a detenção de Ricardo Salgado, no briefing após o Conselho de Ministros.

Insistindo na questão, os jornalistas invocaram que Ricardo Salgado chegou a ser apontado como o homem mais forte de Portugal, classificação que Luís Marques Guedes atribuiu à própria comunicação social e disse: «Num Estado de Direito é sempre bom que a justiça funcione e que funcione em qualquer circunstância. Acho que isso nunca deve ser tomado como um sintoma negativo, mas como um sintoma positivo», frisou.

O governante reforçou ainda que «Portugal, como Estado de Direito que é, não tem minimamente que se preocupar com o funcionamento da Justiça, tem que se preocupar sim quando ela não funciona».

Ricardo Salgado foi hoje detido no âmbito da Operação Monte Branco, que investiga a maior rede de branqueamento de capitais em Portugal e está a ser ouvido na qualidade de arguido pelo juiz Carlos Alexandre, no Tribunal Central de Instrução Criminal, tendo sido interrompido para almoço.

Fonte ligada ao processo referiu à Lusa que a investigação foi desencadeada pelo Ministério Público com a colaboração de inspetores tributários.

A detenção de Ricardo Salgado surge na sequência de buscas efetuadas na quarta-feira a várias entidades do Grupo Espírito Santo.