O crescimento do setor industrial da zona euro manteve-se em outubro pelo quarto mês consecutivo, anunciou esta segunda-feira a empresa de serviços de informação financeira Markit.

O índice composto PMI (Purchasing Managers Index) do setor industrial da zona euro subiu em outubro para 51,3 pontos, ligeiramente acima do valor de 51,1 pontos verificado em setembro.

Um índice PMI inferior a 50 pontos significa contração, enquanto um superior indica expansão da atividade.

«A economia da zona euro registou em outubro o mais forte crescimento em dois anos, ou seja desde que o aumento da incerteza resultante da intensificação da crise da dívida soberana começou a atingir duramente as empresas em 2011», comentou Chris Williamson, economista-chefe da Markit.

Segundo Williamson, «a recente expansão evidenciada pelos questionários atesta uma inversão importante de conjuntura no setor industrial», já que «no início do ano, os dados apontavam para uma taxa de contração anual da produção industrial entre 2% e 3% e agora apresentam uma taxa de crescimento entre 2% e 3%».

No entanto, a recuperação «apenas ganhou força em outubro», sublinha Williamson.

Todos os países abrangidos pela avaliação da Markit, que não incluem Portugal, registaram uma expansão em outubro, com exceção para a França e Grécia.

Enquanto a Irlanda registou um índice de 54,9, o nível mais alto dos últimos 30 meses, o da Holanda foi de 54,4, o da Áustria de 52,7 e o da Alemanha de 51,7.

Em Espanha e Itália, o índice atingiu respetivamente 50,9 e 50,7, acima da barreira dos 50 pontos.

Os índices PMI Markit para o setor industrial em outubro foram de 49,1 em França e de 47,3 na Grécia.