O ritmo da recessão económica na Zona Euro caiu em junho pelo terceiro mês consecutivo e atingiu o nível mais alto dos últimos 15 meses, segundo índices da empresa de serviços de informação financeira Markit hoje divulgados.

O indicador PMI (Purchasing Managers Index) da Markit da atividade na zona euro manteve-se abaixo dos 50 pontos, ao situar-se em junho em 48,7 pontos, mas acima do valor de 47,7 pontos verificado em abril, refere a Markit.

Um índice PMI inferior a 50 pontos significa contração, enquanto um superior indica expansão da atividade.

Por países da zona euro, o índice PMI da atividade económica em junho foi superior a 50 pontos só na Irlanda (53,5 pontos) e na Alemanha (50,4 pontos), mas as desacelerações foram mais moderadas em França, Espanha e Itália, refere o estudo da Markit.

Este valor do PMI em junho, «ainda abaixo do nível 50, indica que a recessão na zona euro se prolongou por um tempo recorde de sete trimestres consecutivos», refere no comentário aos índices, o economista principal da Markit, Chris Williamson.

Além de afirmar que os dados de junho são consistentes com uma queda do PIB de 0,2% no segundo trimestre, similar à diminuição observada no primeiro trimestre deste ano, Williamson indica que «há boas razões para acreditar que a região se está a estabilizar e a caminho de voltar ao crescimento no segundo semestre deste ano».

«O mais encorajador é a notícia de que a economia espanhola se contraiu ao ritmo mais lento dos últimos dois anos e que a economia italiana registou a menor queda desde setembro de 2011», adianta o economista.

No comentário, Williamson refere ainda que «continua a ser difícil identificar algum autêntico fator de crescimento porque só a Alemanha é que está a crescer».

Assim, adianta, o ritmo de expansão económica da região no conjunto deve continuar a ser «moderado até que a confiança empresarial melhore e o desemprego comece a diminuir da atual alarmante taxa máxima de 12,2%».

O índice de Atividade Comercial da zona euro em junho subiu, pelo segundo mês consecutivo, para 48,3 pontos, contra um valor de 47,2 em maio.

O setor da Intermediação Financeira registou um acréscimo da atividade, enquanto os outros setores se contraíram, sobretudo o dos hotéis e restaurantes.

Em relação ao setor dos Serviços na zona euro, a Markit refere que a desaceleração se estendeu a 17 meses consecutivos em junho.

Mas também a recessão no setor dos Serviços está a desacelerar, já que em junho registou o rtimo mais débil de contração desde janeiro, refere a Markit.

Em relação ao Reino Unido, país da União Europeia (UE) mas que não pertence à zona euro, o PMI da atividade subiu para o nível mais alto dos últimos 27 meses em junho, ao cifrar-se em 54,9 pontos.

O aumento da atividade no Reino Unido em junho foi sustentado pelo aumento das vendas, refere a Markit.

Na China, o índice PMI da atividade estabilizou em junho, ao atingir 51,3 pontos, depois de se ter cifrado em 51,2 pontos em maio.