A atividade empresarial na zona do euro expandiu-se em setembro à taxa mais fraca desde o início de 2015, com divergências nos ritmos de crescimento, mas as empresas deixaram de baixar os preços pela primeira vez num ano, segundo inquéritos da Markit.

O inquérito composto da Markit mostrou uma grande divisão entre as empresas industriais e as de serviços, bem como divergências semelhantes nas taxas de crescimento dos diferentes países do euro.

"É um final muito dececionante do terceiro trimestre. Vimos desigualdade entre indústria e serviços, mas também entre os países", disse Rob Dobson, diretor de indicadores económicos da Markit.

"A Alemanha desacelerou. França fez muito bem e o resto desacelerou", acrescentou.

O índice provisório composto de gestores de compra (PMI) da zona euro, um bom barómetro do crescimento, caiu para 52,6 em setembro de 52,9 em agosto. Um valor acima de 50 indica crescimento, mas este é o nível mais baixo desde janeiro de 2015.