A atividade económica na Zona Euro inverteu a tendência de contração em julho e atingiu o nível mais alto em 18 meses, deixando antever uma saída da recessão, segundo estimativas de índices da empresa de serviços de informação financeira Markit divulgados esta quarta-feira.

A estimativa do indicador PMI (Purchasing Managers Index) da Markit da atividade na zona euro subiu para níveis superiores a 50 pontos, ao situar-se em julho em 50,4 pontos, acima do valor de 48,7 pontos verificado em junho, refere a empresa.

Esta foi a quarta subida consecutiva do índice, significando que a atividade privada parou de se contrair em julho porque um índice PMI inferior a 50 pontos significa contração, enquanto um superior indica aceleração da atividade.

«No nível mais elevado dos últimos 18 meses, o índice PMI mostra sinais encorajadores de melhorias da conjuntura e deixa antever finalmente, na zona da moeda única, uma saída da recessão no terceiro trimestre», analisa o economista principal da Markit, Chris Williamson.

«A melhoria económica resulta essencialmente de uma retoma generalizada da produção industrial, que registou o maior crescimento dos últimos dois anos», sublinhou o economista, adiantando que a «produção de bens a aumentou na Alemanha, França e no resto da região», cita a Lusa.

Paralelamente, a atividade do setor dos serviços registou o mais leve recuo dos últimos 18 meses, o que poderia «anunciar a melhoria tão esperada da procura interna», segundo Williamson.

Mesmo os dados do emprego, que continuam a recuar, «trazem um lote de boas notícias», refere Williamson, adiantando que «as reduções de efetivos revelam-se menos importantes do que no início do ano».