A atividade económica continuou a expandir-se em setembro na Zona Euro, com o índice composto PMI Markit a atingir o nível mais alto dos últimos 27 meses, anunciou a empresa de serviços de informação financeira.

Sustentado sobretudo pelo setor dos serviços, o índice composto PMI (Purchasing Managers Index) da zona euro subiu em setembro para 52,2 pontos, acima da barreira dos 50 pontos e depois de ter atingido 51,5 pontos em agosto.

A primeira estimativa do índice composto PMI para setembro tinha sido de 52,1 pontos.

Um índice PMI inferior a 50 pontos significa contração, enquanto um superior indica expansão da atividade.

«Os últimos dados PMI assinalam o mais forte crescimento da atividade da zona euro em 27 meses no terceiro trimestre de 2013. A aceleração do crescimento da atividade registada em setembro é um bom augúrio para o crescimento no último trimestre», afirma o economista da Markit Chris Williamson.

Segundo a Markit, também se observam sinais encorajadores no emprego, que registou uma taxa de destruição de empregos muito fraca em setembro.

«Esta tendência aumenta a probabilidade de uma próxima inflexão da curva do desemprego», indica a Markit num comunicado.

A Alemanha está a liderar, mas a França também voltou ao crescimento, refere Williamson, considerando que «ainda mais animadores são os dados positivos registados na Irlanda e em Itália», que indicam o regresso a crescimentos robustos.

No entanto, «a Zona Euro ainda não está fora de perigo porque o crescimento continua a ser modesto», adianta Williamson.

Em setembro, a atividade progrediu tanto no setor industrial (PMI de 51,1 pontos) como no setor dos serviços (PMI de 52,2 pontos), o qual registou o maior valor dos últimos 27 meses.