O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, defendeu esta segunda-feira que as decisões do Tribunal Constitucional condicionaram o resgate financeiro a Portugal.

«Sinceramente, quando olhamos para o que passou em Portugal há alguns meses, o programa pareceu incerto por causa de algumas decisões dos tribunais, a reação dos mercados foi dramática, penalizando as obrigações portuguesas», reiterou.

Falando no Parlamento Europeu, o responsável afirmou que se mantêm incertezas legais sobre algumas as medidas de austeridade: «Há alguns riscos legais sobre a implementação de importantes medidas de consolidação da despesa. Por isso, é essencial uma monotorização constante e, como já disse, é demasiado cedo para fazer previsões sobre quando Portugal vai poder sair disto», rematou.