O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, disse esta terça-feira que a situação económica tem melhorado gradualmente na zona euro, mas as taxas de juros para os empréstimos continuam elevadas e variam segundo os países.

As pequenas e médias empresas e as famílias são as mais prejudicadas com esta situação, disse Draghi num discurso no encerramento de uma conferência organizada pela instituição a que preside, em Frankfurt.

Draghi afirmou esperar que a avaliação dos bancos da zona euro sirva para restaurar a confiança no setor bancário europeu. «Estamos convencidos que a união bancária vai melhorar a situação», afirmou.

O BCE vai iniciar ainda este mês uma avaliação da situação de cerca de 130 bancos na zona euro, um exercício que deverá terminar em outubro do próximo ano, antes de assumir a supervisão bancária única, um dos mecanismos da futura união bancária.

Quatro bancos portugueses estarão entre os avaliados - BPI, BCP, Caixa Geral de Depósitos e Grupo Espírito Santo (que detém o BES).

Esta avaliação inclui testes de resistência para avaliar a capacidade das instituições de crédito em cenários de tensão.