Para o governante, a estratégia orçamental do executivo procura "conjugar uma gestão orçamental responsável com diminuição da carga fiscal e recuperação do rendimento das famílias" e, ao mesmo tempo, "conseguir espaço para materialização de crescimento económico", devendo uma importante parte vir da procura externa, apesar das assimetrias de crescimento dos mercados exteriores.

Mário Centeno destaca ainda a melhoria que o Governo quer fazer do défice das administrações públicas, afirmando que o valor do défice tem "subjacente uma redução mais acentuada da despesa em rácio do PIB (com queda de 1,3 pontos percentuais) mas também das receitas (0,9 pontos percentuais)".

Isto representa "um significativo esforço de contenção da despesa pública, o maior dos últimos anos, mas sem impacto nas remunerações dos trabalhadores", sublinhou o ministro das finanças.