Protocolo assinado, dinheiro em vias de ser canalizado e ministro das Finanças agradado e a elogiar o acordo entre o Banco Europeu de Investimento (BEI) e quatro bancos portugueses para o financiamento de PME, no montante de 300 milhões de euros.

Estas linhas de financiamento surgem completamente alinhadas com a estratégia do Governo, que visa melhorar o ambiente geral de empreendedorismo em Portugal", afirmou Mário Centeno, durante a cerimónia de assinatura do protocolo, em Lisboa.

Para o ministro, a criação de novas empresas e de novos postos de trabalho é algo determinante para o desenvolvimento do país, o que não passa por baixos salários.

Para este Governo, os ganhos de competitividade que se pretendem atingir não se podem basear num modelo de baixos salários, mas têm que resultar de ganhos de produtividade, pois só uma competitividade baseada no aumento da produtividade assegura um crescimento sustentado e duradouro", afirmou Centeno.

300 milhões para quatro

O Banco Europeu de Investimento (BEI) contratualizou com o BPI, CGD, BCP e Santander Totta um empréstimo total de 300 milhões de euros destinados a financiar projetos realizados por PME e 'mid caps' portuguesas.

O objetivo é "operacionalizar o programa do BEI para a criação do emprego e das 'start-ups' em Portugal", informou a entidade, acrescentando que este projeto se insere no pilar financeiro do Plano de Investimento para a Europa.

Na primeira fase, cada um dos quatro bancos vai receber um empréstimo de 70 milhões de euros, num total de 280 milhões de euros, e numa fase posterior será disponibilizado um empréstimo adicional de 20 milhões de euros, perfazendo o montante global de 300 milhões de euros.