A ministra das Finanças afirmou esta terça-feira que está recetiva às propostas de alteração ao Orçamento de 2014, mas sublinhou que estas têm de «preservar os objetivos essenciais» do diploma, ou seja, o equilíbrio orçamental e a sustentabilidade das finanças públicas.

«O Governo apresentou uma proposta de Orçamento do Estado para 2014 de exigência e de responsabilidade porque estes são os princípios que se impõem ao sistema político num momento tão crítico e são os princípios que deverão constar nas alterações sugeridas pelos partidos políticos no âmbito da discussão na Assembleia da República», disse a governante numa conferência hoje em Lisboa.

Maria Luís Albuquerque alertou, no entanto, que as propostas de alteração que os partidos com assento parlamentar venham a apresentar são recebidas pelo Governo «com abertura, mas terão de preservar os objetivos essenciais do Orçamento para 2014».

A ministra das Finanças considerou que o país está «num momento decisivo» para a economia portuguesa e que «a proposta do Orçamento reflete a singularidade dessas circunstâncias», tendo como objetivos o equilíbrio orçamental e a sustentabilidade das finanças públicas.