A ministra do Estado e das Finanças, Maria Luís Albuquerque, disse esta quinta-feira que mantém a confiança política no secretário de Estado Paulo Núncio e que o caso da Lista Vip será discutido em detalhe no parlamento.

«Não tenho qualquer razão para não ter confiança política no secretário de Estado» dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, afirmou Maria Luís Albuquerque.

A ministra adiantou ter sido pedido «um inquérito à inspeção-geral de finanças para saber exatamente o que se passou e teremos de ver os contornos da situação».

«Vamos analisar essa situação e daremos todas as explicações que forem razoáveis dar sobre a matéria», frisou.
Os serviços de auditoria interna da Autoridade Tributária (AT) confirmaram a existência de uma lista VIP de contribuintes num relatório datado de 28 de novembro, notícia a revista Visão na edição de hoje.

De acordo com a investigação da revista, a ideia da criação da lista VIP surgiu na sequência de notícias sobre dados fiscais do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, na altura do denominado caso Tecnoforma.

As conclusões do relatório dos serviços de auditoria da AT foram despachadas por António Brigas Afonso, o anterior diretor-geral, que se demitiu na sequência das notícias sobre a lista VIP, com a mensagem: «Visto com preocupação».

O caso levou não só à demissão do diretor-geral da AT, António Brigas Afonso, como também do subdiretor José Maria Pires. E originou as audições destes no parlamento bem como do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio.

Paulo Núncio negou perentoriamente ter tido conhecimento ou sido informado da criação da lista VIP de contribuintes.