Em declarações à televisão grega, o governante disse que as quatro tranches cujo pagamento ao FMI está previsto para junho “não vão poder ser feitas porque o dinheiro não está lá”, cita a BBC.


“É possível a saída da Grécia, é um tema que continua muito em cima da mesa, mas essencialmente é uma escolha que depende dos gregos”, afirmou a ministra das Finanças durante uma sessão de perguntas e respostas no evento “Aveiro em Formação”, organizado pela Juventude Social-Democrata daquele distrito.


“E esta mensagem foi muito clara, isto não significa que não haja ajustamento, que não haja abertura, que não haja flexibilidade”, referiu a ministra, ressalvando, no entanto, que “é preciso que do lado das autoridades gregas essas escolhas sejam feitas”. 


acordo em condições humilhantes para a Grécia