O apuramento do valor global do défice só poderá ser feito em março, avançou a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, em entrevista à TVI.

A governante sublinhou que o valor avançado esta quinta-feira, que coloca o défice orçamental em torno dos 5% do PIB, requer ajustamentos contabilísticos, já que não estão apurados os números do PIB e também os resultados globais de receitas como o IVA.

«Não é austeridade, é disciplina orçamental, que é fundamental para o país. Nós sabemos os problemas que nos causou a indisciplina orçamental do país no passado, nomeadamente o grande crescimento da dívida. O facto de termos agora um resultado melhor é uma ótima notícia», garantiu a ministra das Finanças.

Descida de impostos vai começar pelo IRS

Maria Luís Albuquerque sublinhou que o cumprimento do objetivo de consolidação de contas públicas é uma boa notícia para as pessoas, «é essencial para cumprirmos o programa de ajustamento, é essencial para manter a credibilidade». «É o que garante que podemos reduzir a dívida e o custo de financiamento das empresas», aventou.

A ministra lembrou que em 2013 entre a despesa e receita há uma diferença de 7.150 milhões, o que significa que o caminho para chegar ao equilíbrio orçamental ainda é longo.

«O caminho está a ser feito à custa de muitos sacrifícios, mas é essencial conseguir a disciplina das contas públicas porque a indisciplian gera crises profundas, quebra de confiança, perda de emprego no setor privado, um conjunto de consequências muito graves para a sociedade», justificou.