O Governo anunciou o aumento das contribuições para o subsistema de saúde da função pública (ADSE), cujas negociações entre sindicatos e Governo começaram esta segunda-feira.

O objetivo, segundo o Executivo, é tornar a ADSE auto-sustentável, mas segundo especialistas ouvidos pelo Jornal de Negócios defendem que esta medida não seria necessária, uma vez que a ADSE vai passar já este ano a ser paga exclusivamente pelos seus beneficiários.

Quando anunciou o aumento da contribuição, esperado para março, a ministra das Finanças tinha admitido que a ADSE teria este ano saldo positivo e que metade da contribuição das entidades empregadoras será alocada ao Orçamento do Estado, o que indicia um excedente do subsistema.