O Presidente da República afirmou hoje que ainda há tempo para uma solução no BPI até 1 de julho, quando o diploma que revê as restrições dos direitos de voto nas instituições financeiras entra em vigor.

Em declarações aos jornalistas, durante uma visita à Escola José Gomes Ferreira, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa disse que o diploma hoje promulgado "foi retido" durante um mês, porque Governo e Presidente da República quiseram primeiro tentar que houvesse um acordo entre acionistas do BPI.

"Esta legislação tem, ainda assim, uma vantagem, que é a de só entrar em vigor no dia 1 de julho deste ano", salientou o chefe de Estado, acrescentando que "ainda dá um tempo" que pode ser aproveitado para "haver uma solução".