O grupo Chrysler anunciou esta terça-feira a criação de um novo departamento, denominado «segurança dos veículos e cumprimento das normas», e que é chefiado por um veterano da empresa e vice-presidente Scott Kunselman.

O grupo segue assim o exemplo da concorrente General Motors, que já tinha criado um departamento semelhante este ano.

As marcas estão sob forte escrutínio devido a questões de segurança, que já levaram que, por exemplo, a Chrysler, só este ano, tenha recolhido cerca de 2,3 milhões de veículos com defeito. Já a GM recolheu 25,8 milhões.

Já em junho a GM tinha adiantado que vai pagar pelo menos um milhão de dólares por cada vítima mortal de acidentes associados a veículos com um defeito na ignição, problema que obrigou à recolha para revisão de 2,6 milhões de viaturas.