O processo de negociação sindical que terá como objetivo criar um novo regime legal de estímulo ao emprego científico arranca já na próxima semana. O  anúnciou foi feito pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor.

A intenção do governante é a de flexibilizar, para criar mais emprego científico, com garantia contratual e condições de segurança social, aprofundando a autonomia das instituições e diversificando os modelos de contratação e as fontes de financiamento.

“Vamos iniciar, na próxima semana, um processo de negociação sindical para um novo diploma e um regime de emprego científico”, disse à Lusa Manuel Heitor, à margem da apresentação do consórcio AGRO-TECH Campus de Oeiras, em Lisboa.

O novo regime legal “vai facilitar a contratação” de doutorados, quer no sistema politécnico, quer no sistema universitário, quer em arranjos colaborativos entre o setor público e o privado, defendeu o titular da pasta.

“Por isso, é sobretudo dignificando o trabalho e o emprego científico que melhor possamos dignificar o conhecimento em Portugal”, defendeu ainda.

No início de junho, durante o Congresso do PS, António Costa anunciou que será lançado, em setembro, um concurso para emprego científico ao qual poderão concorrer os pós-doutorados, que, deste modo, deixam de viver de bolsas e passam a poder usufruir de vínculos contratuais.