O presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafofo, admitiu esta quarta-feira que o atraso na transferência de cinco milhões de euros do IRS pelo Governo Regional implicará a apresentação de um orçamento retificativo e cortes no investimento.

"O não recebimento dos cinco milhões de euros implicará, necessariamente, a apresentação de um orçamento retificativo ainda este ano", disse Paulo Cafofo numa declaração sem direito a perguntas.

O presidente da autarquia revelou que o "governo regional decidiu não pagar os cinco milhões de euros da contribuição variável do IRS que o município tem direito a receber relativos aos anos de 2009 e 2010".

Por essa razão, adiantou, "neste orçamento retificativo" serão retiradas verbas de igual valor, quer nas receitas, quer nos investimentos, e a Câmara avaliará "alternativas de financiamento para 2016".

Paulo Cafofo acusou de "falta de equidade" e de "incoerência" o atual presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, porque, no tempo em que era presidente da Câmara Municipal do Funchal, reivindicou aquela verba que, agora, "decidiu não pagar".

Paulo Cafofo foi eleito pela Coligação Mudança (PS,PTP,BE,MPT E PAN) mas não detém maioria absoluta na Câmara.