Vai passar a ser obrigatório constar da fatura da eletricidade qual a data em que a leitura da contagem deve ser comunicada ao fornecedor. A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) aprovou um projeto de diretiva que obriga os comercializadores de eletricidade a fazê-lo.

A fatura terá de indicar, assim, data (ou datas) em que a leitura do contador pode ser comunicada para ser refletida na fatura seguinte, explica o regulador do setor energético num comunicado citado pela Lusa. A ideia é, de resto, fazer o mesmo para o setor do gás natural, havendo já uma proposta semelhante nesse sentido.

“Com esta obrigação colocada aos comercializadores, os consumidores veem reforçados os meios para reduzirem o recurso a estimativas de consumo e poderem mais facilmente controlar os seus consumos de energia e os custos associados”

Como tirar partido da liberalização do mercado

No âmbito da comemoração do Dia Mundial dos Direitos do Consumidor, a ERSE lança um folheto eletrónico para os consumidores tirarem partido da liberalização no mercado de energia.

Aconselha-os a ter presentes as três fases essenciais do processo de mudança (3 C’s):

Conhecer quem atua no mercado

- Comparar as ofertas disponíveis

- Contratar de forma esclarecida e informada

O regulador recomenda ainda aos consumidores que conheçam as características do contrato antes de o assinar e percebam se existe alguma fidelização associada, que, se existir, deve ter uma vantagem para o consumidor claramente identificada.

Apesar de a fidelização não ser proibida, "deve ser explicada ao consumidor e demonstrada qual a vantagem associada", defende o regulador.

Leia também:

Mudar de fornecedor de energia: quem deve gerir o processo?