A cidade chinesa de Luoyang, na província central de Henan, obtém energia com a incineração de notas de banco já gastas e fora de circulação, uma nova iniciativa que ajuda a reduzir a poluição, revelou a agência Xinhua.

A cidade, próxima do célebre mosteiro de Shaolin, consegue gerar 660 quilowatts por hora de energia por cada tonelada de notas velhas queimadas, uma forma menos poluidora que o carvão, a principal fonte de energia na China.

Os promotores da iniciativa esperam estender o novo método a todo o país.

De acordo com os peritos, a queima de notas que são retiradas de circulação poderá permitir gerar 1,32 milhões de quilowatts por ano, a mesma energia que se consegue obter na queima de 4.000 toneladas de carvão.

As notas antigas ou danificadas são recolhidas pelas sucursais bancárias e enviadas ao Banco Popular da China, a entidade emissora, que depois as entrega a outras empresas para reutilização, geralmente associada à indústria papeleira.