O Banco Finantia registou lucros de 3,4 milhões de euros no primeiro semestre, o triplo do resultado obtido no mesmo período de 2012, disse esta terça-feira a instituição financeira em comunicado.

Ainda de acordo com a mesma nota, o resultado antes de impostos foi de 9,0 milhões entre janeiro e junho, o que compara com os 3,0 milhões de euros de período homólogo.

O banco liderado por António Guerreiro registou ainda um aumento do produto bancário para 64,8 milhões de euros, quase o triplo do valor do primeiro semestre de 2012, o que é atribuído sobretudo aos ganhos com dívida pública portuguesa. Já a margem financeira aumentou para 34,2 milhões de euros e as comissões e outros proveitos desceram para 4,2 milhões de euros.

Os custos operacionais fixaram-se em 11,5 milhões de euros, abaixo dos 12,0 milhões de euros do primeiro semestre de 2012.

Quanto ao crédito, diminuiu 28,5% para 323 milhões de euros entre janeiro e junho, com o banco a afirmar que está a alterar a atividade de crédito do «financiamento ao consumo para o financiamento a pequenas e médias empresas através de produtos de leasing e leaseback».

Um significativo aumento, de quase seis vezes, tiveram as imparidades e provisões que atingiram 44,3 milhões de euros em junho de 2013.

Já os depósitos aumentaram 9,30% para 481,8 milhões de euros, sendo que o rácio de transformação de depósitos em crédito terminou junho nos 126%.

O banco Finantia, que trabalha os segmentos da banca de investimento, banca privada e crédito especializado, fechou ainda o primeiro semestre com um rácio de capital core tier 1 (uma das medidas de avaliar a solvabilidade de um banco) de 13,8%, acima dos 10% exigidos pelo Banco de Portugal.